Portal Uno Midias
Cidade

Prefeitura promove ações alusivas ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra crianças e adolescentes

Como parte das ações da Prefeitura de Manaus para marcar o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, 18 de maio, a policlínica Djalma Batista, no bairro Compensa, na zona Oeste, promoveu nesta terça-feira, 18/5, atividades de orientação para usuários atendidos no serviço de saúde.

A programação, realizada com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), por meio da gerência de Promoção da Saúde (Gpros), contou com rodas de conversa para o público da sala de espera, coordenadas por enfermeiros e assistentes sociais abordando o tema, assim como a importância de a sociedade proteger as crianças e adolescentes, denunciando os abusos.

Segundo a diretora da policlínica Djalma Batista, Francisca Vicente, o objetivo da ação foi despertar a população para a necessidade de discutir mais sobre o abuso e a exploração sexual, e para que as pessoas fiquem atentas sobre o que acontece com as crianças e adolescentes. “Se você tem uma criança acostumada a brincar, sorrir, e que de uma hora para outra fica retraída, é importante entender por que isso vem ocorrendo”, afirmou Francisca Vicente.

A diretora lembrou, ainda, que os serviços de saúde também têm o papel de atuar na notificação de casos de violência. “Todos os profissionais de saúde são orientados para ter atenção a qualquer sinal de abuso, desde o primeiro momento de acolhimento, na sala de vacina, nas consultas médicas e mesmo nas visitas domiciliares realizadas pelos agentes comunitários de saúde, que devem ficar atentos para as vulnerabilidades no núcleo familiar”, afirmou a diretora.

Para a dona de casa Francisca Nogueira, que acompanhou a atividade na policlínica e tem cinco filhos entre 14 e 24 anos, a ação foi muito importante. “É importante discutir o tema, porque as nossas crianças aprendem muito com isso e os pais têm que ficar sempre presente na vida dos filhos, para que eles possam ter informações. É preciso alertar sempre nas escolas, no trabalho, na unidade de saúde e na família”, afirmou Francisca Nogueira.

Durante a ação, a assistente social Elizabeth Modernel, que atende a população na policlínica Djalma Batista, reforçou a necessidade da reflexão e maior discussão sobre o tema do abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes junto à sociedade.

“Como assistente social, realizo atendimento a famílias que trazem a adolescente para o pré-natal, na idade de 13 e 14 anos. E, no atendimento, conversando, a gente observa que o acompanhante muitas vezes percebe a situação como normal, uma coisa natural. Então, é realmente necessário conversar, chamar a atenção da população e refletir sobre como estamos tratando desse tema com as crianças da nossa família”, ressaltou Elizabeth Modernel.

A partir da notificação da violência pelos serviços de saúde, são disparadas várias ações envolvendo a rede de proteção de crianças e adolescentes, com encaminhamento para o conselho tutelar, orientação à família e atendimento médico especializado. A população também pode fazer denúncias por meio do Disque 100, serviço do governo federal para denúncias de violações de direitos humanos.

CONTEÚDOS PATROCINADOS

RELACIONADOS

Prefeito David Almeida fiscaliza obras de recuperação de trecho interditado na avenida 7 de Setembro

Redação Am

Praça das Flores, na zona Oeste, vai receber serviços da prefeitura

Redação Am

Implantação de calçadão realizada pela Prefeitura de Manaus na avenida Cosme Ferreira segue em ritmo acelerado

Redação Am