Portal Uno Midias
Manaus

Em Manaus, 950 mulheres vítimas de violência doméstica receberam acompanhamento da Polícia Militar

De janeiro até agosto deste ano, 950 mulheres vítimas de violência doméstica foram atendidas pelo programa Ronda Maria da Penha, da Polícia Militar do Amazonas. O serviço especializado de proteção às mulheres ameaçadas, que possuem medidas protetivas, está completando sete anos de fundação, no próximo dia 30 de setembro. Nos últimos anos, a unidade foi expandida para atender toda a capital, seguindo determinação do governador Wilson Lima.

Em sete anos, o Ronda Maria da Penha contabiliza o suporte a 3.436 mulheres que sofriam algum tipo de abuso de seus companheiros ou familiares. No ano passado, houve o recorde de mulheres assistidas, com 1.086 ao longo dos doze meses.

Este ano, a unidade também bateu o recorde de prisões em flagrante por descumprimento das medidas protetivas. Até o momento, foram 15 prisões, o maior número desde que o programa foi criado. Ano passado, foram seis prisões em flagrante e, em 2019, as equipes policiais efetuaram 12 prisões.

Comandado pela capitã Clésia Franciane, o Ronda Maria da Penha acompanha mulheres que solicitam na Justiça a medida protetiva de urgência, prevista na Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006).

“São aquelas mulheres que já têm a medida protetiva deferida e que a gente realiza a fiscalização, no sentido de persuadir o agressor para que ele não volte a se aproximar dela, mantendo-o afastado e também guardando essa mulher em segurança”, disse.

Além do contato direto com a unidade policial, as mulheres assistidas possuem acesso ao aplicativo “Alerta Mulher”. Desenvolvido pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), em parceria com a Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), o aplicativo tem como objetivo ser um canal mais rápido para mulheres vítimas de violências pedirem socorro da polícia. Uma base exclusiva para atendimento dos chamados funciona nas dependências do 190, o serviço emergencial do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops). O monitoramento ocorre 24 horas por dia.

As mulheres acompanhadas pelo programa Ronda Maria da Penha também podem fazer o acionamento emergencial pelo número do (92) 98842-2258, pelo 190 ou por meio do aplicativo “Alerta Mulher”.

FOTOS: Pelegrine Neto/SSP-AM e Arthur Castro/Secom

RELACIONADOS

Base Arpão intercepta malas com drogas durante fiscalização no porto de Tefé

Redação Am

Em Boa Vista do Ramos, Wilson Lima visita hospital e anuncia investimentos

Redação Am

Internauta registra homens da força Nacional passando por ruas de Manaus nesta quarta-feira

Junior Ferreira