Portal Uno Midias
Brasil

As novas medidas da prefeitura para barrar variante indiana do coronavírus

prefeitura de São Paulo irá aumentar a fiscalização e controle em rodovias e aeroportos da cidade. A partir desta terça-feira (25), a capital ampliará as medidas de prevenção para evitar a chegada da variante indiana da Covid-19, identificada no Brasil pela primeira vez no estado do Maranhão na última semana.

O prefeito Ricardo Nunes, junto com a área técnica da secretaria municipal de Saúde, vai se reunir com o Ministério da Saúde com o objetivo de implementar as novas ações o mais rápido possível. “Hoje à tarde tem uma reunião técnica para poder formalizar os procedimentos. Por parte da Prefeitura, a gente gostaria que começasse amanhã, o quanto antes, mas a gente ainda depende dessa reunião para poder fazer um trabalho coordenado, com inteligência, e que seja realmente eficaz”, disse.

Entre as ações, nos aeroportos, avisos sonoros e visuais vão relembrar os frequentadores sobre as medidas de prevenção e sintomas da doença. No Terminal Rodoviário do Tietê, uma triagem específica será implementada para identificar casos sintomáticos de Covid-19 entre os passageiros provenientes do Maranhão. Nas estradas, as ações devem ser mais informativas. 

Os principais terminais rodoviários e aeroportos também contarão com uma triagem. Quem apresentar os sintomas da doença será levado para unidades médicas onde será realizado teste PCR. Em caso de resultado positivo para o vírus, o paciente será isolado e monitorado por 10 dias. Comunicantes dos casos suspeitos devem se isolar por 14 dias a partir do dia do contato. 

O secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, propôs que fosse exigido um teste PCR negativo para a Covid-19 para os passageiros aeroviários que viessem a São Paulo do Maranhão. No entanto, o governo federal, único que pode implementar a medida, de acordo com a Anvisa, não aceitou a recomendação.  

O Ministério da Saúde planeja conter a disseminação da variante indiana da Covid-19 com um plano dividido em três frentes: testar indivíduos sintomáticos, testar pessoas assintomáticas mas que frequentem lugares com alto fluxo de pessoas ou sejam profissionais de áreas com alto risco de contágio e acompanhar a prevalência da doença de acordo com a região. 

O governo estadual afirmou estar em contato com as autoridades federais e municípios para ampliar medidas de controle e monitoramento da Covid-19.

MSN

CONTEÚDOS PATROCINADOS

RELACIONADOS

Exército conclui que não houve crime de militares no dia 8 de janeiro

Redação

Gerontec completa um ano com pesquisas voltadas ao envelhecimento

Redação Am

Banco da Amazônia disponibiliza R$ 1 bilhãode recursos para o Pronampe na Região Amazônica

Redação