Amazonas

Governo reforça oferta de oxigênio para hospitais em Manaus

Uma nova carga com 200 cilindros de oxigênio desembarcou na manhã desta terça-feira (12/01) em Manaus, transportada de São Paulo, em avião da Força Aérea Brasileira (FAB). A remessa faz parte de uma carga de 30 mil metros cúbicos programados para serem transportados de Guarulhos (SP) para Manaus até a próxima quinta-feira (14/01). Na noite de segunda-feira, uma remessa de 50 mil metros cúbicos  desembarcou na capital amazonense por via fluvial vinda de Belém.

A força-tarefa para não deixar faltar oxigênio nos hospitais no Amazonas é uma das ações programadas pelo Comitê de Resposta Rápida, que reuniu em um comando único os três níveis de governo – federal, estadual e municipal – no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) do Governo do Amazonas.

O oxigênio transportado pertence à White Martins, fornecedora dos hospitais da rede estadual de saúde. Na semana passada, a empresa informou que o consumo de oxigênio quintuplicou e que estava operando no limite da sua capacidade, o que fez com que o Estado pedisse ajuda às Forças Armadas para auxiliar no transporte do produto produzido pela empresa em outras regiões do Brasil. O consumo está relacionado ao aumento súbito de internações na rede pública e privada, principalmente nas últimas duas semanas.

Além dos 200 cilindros de hoje, uma remessa de 150 cilindros está programada para chegar na quarta-feira (13/01) e outra de 150 cilindros na quinta-feira (14/01), que equivalem juntas a 5 mil metros cúbicos.  Outros 25 mil metros cúbicos em isotanques também estão na programação de voos desta semana da FAB, partindo do aeroporto de Guarulhos.

Desde sexta-feira (08/01), a força-tarefa sob o comando da Defesa Civil do Amazonas atua no transporte de oxigênio de Belém, Brasília e Guarulhos.

O Governo do Amazonas também fez a requisição de oxigênio de um produtor local e trabalha junto com o Governo Federal numa solução para a aquisição, nas próximas horas, de dez miniusinas de oxigênio, que irão dar autonomia aos hospitais.

A solução vai garantir a ampliação nos próximos dias de quase 500 novos leitos clínicos e de UTI na rede pública do Amazonas.

FOTOS: Divulgação/Secom

Leia Também

Atendimento psicossocial da Deaai já solucionou 40 casos de estupro

Victoria Farias

Reconhecimento de zona livre de febre aftosa sem vacinação deve ampliar mercado para pecuaristas do AM

admin

Berlamino Lins exalta homenagem a Yara Lins: ” Das mais justas, das mais louváveis e elogiáveis “

admin