Amazonas

Fim de semana com programação cultural

A programação deste fim de semana começa com o Dia da Consciência Negra como tema. Nesta sexta-feira (20/11), o Centro Cultural Povos da Amazônia (CCPA), localizado na avenida Silves, 2.222, Distrito Industrial, abre as portas para receber o público para o “AMYIPAGUANA – Encontro de Cultura Popular do Amazonas”.

No Facebook e Youtube da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (@culturadoam), às 13h, vai ser exibido o documentário “Vermelho Boxe! – Para o melhor capoeira eu sou o cão”, enquanto, às 15h, inicia a Roda de Conversa “Pensando a Ancestralidade e Identidades”. A partir das 18h, começam as apresentações com grupos de capoeira, samba de roda, Grupo Indígena Myra Yiá, Maracatu Pedra Encantada, Gambá Maroaga e Grupo Ajuri de Parintins Tradições do Baixo Amazonas. 

O seminário e as oficinas são abertos ao público, mas têm vagas limitadas a 30 pessoas para cumprir as normas de distanciamento social de prevenção à Covid-19. Os interessados em participar podem se inscrever pelo link https://forms.gle/HEnRMZwXPzHTELSS8.

O protocolo de segurança inclui ainda aferição de temperatura na entrada do espaço, disponibilização de totens de álcool em gel nos ambientes do centro cultural, uso obrigatório de máscara, assim como funcionários treinados e com equipamentos de proteção e higienização do local.

No Teatro Amazonas, às 20h, tem o “Até o Tucupi de Negritude”, com Elisa Maia, que assina a direção do espetáculo; Karen Francis, Kurt Sutil, Halaise Asaf, AndrewXX, Chapéu de Palha e DJ Rafa Militão. O show vai ser transmitido pelo Facebook do Festival Até o Tucupi e no canal do YouTube do Coletivo Difusão e através do Até o Tucupi 2020. 

‘ExpoMulher’ – Ainda na sexta-feira, das 9h às 15h, acontece a “ExpoMulher”, exposição em alusão ao Dia do Empreendedorismo Feminino, no Palacete Provincial (Praça Heliodoro Balbi, no Centro). O acesso é gratuito e o agendamento pode ser feito no Portal da Cultura (cultura.am.gov.br).  

A proposta da exposição é impulsionar as atividades de mulheres empreendedoras. Entre as participações confirmadas estão Deise Mota Doces Artesanais, Concretíssimo por Hágata Ozório, A Palavra do Café, Óleos Essenciais Saúde & Bem-Estar, Charmmy Manaós, Elaine Gualberto Store Perfumaria e Cosméticos, Minhas Artes, Bless Semi Joias, Anna’s Doces e Tenda da Lilith Acessórios.

As visitas vão ser feitas com grupos de até dez pessoas para atender aos protocolos de segurança de prevenção à Covid-19.  

Dança e musical – No sábado (21/11), às 19h, no Teatro da Instalação (rua Frei José dos Inocentes, no Centro), o Corpo de Dança do Amazonas (CDA) apresenta a Mostra de Solos “Os 21”, que conta com 21 criações artísticas que traduzem a resistência e a necessidade de sobreviver a uma pandemia. 

Proposta pelo diretor da companhia, Mário Nascimento, busca oportunizar aos integrantes do CDA a exibição de seus trabalhos e potências criativas por meio de seus corpos versáteis, destacando em cada fonte, um universo particular. A mostra é gratuita. As vagas disponibilizadas já foram preenchidas. 

No Teatro Amazonas, às 20h, a Associação Belas Artes do Amazonas (Belarte) apresenta o musical “Cats in Belarte”, a história dos gatos Jellicle, que se reúnem uma vez ao ano para que o líder do grupo escolha apenas um deles para visitar um lugar melhor. Entre os personagens mais marcantes estão Munkustrap, o narrador da história; Grizabela, the glamour the cat; e Velho Deuteronomy, o líder dos gatos jellicle. A classificação é livre. O ingresso custa R$ 50 (preço único). 

Café criativo, teatro e música – O domingo (22/11) tem atividades variadas durante todo o dia. A partir das 7h, tem mais uma edição do “Café Criativo”, no Centro Cultural dos Povos da Amazônia (avenida Silves, 2222, Distrito Industrial – antiga Bola da Suframa). A programação reúne o tradicional café da manhã regional, com assinatura da Rota dos Chefs, a uma atividade cultural. O acesso é gratuito e os participantes também podem visitar os espaços do Centro Cultural. 

No Teatro Amazonas, acontece a Mostra de Teatro Interarte, que chega a 13ª edição, com espetáculos teatrais e apresentações musicais, resultados das aulas e pesquisas realizadas por professores e alunos da Escola de Teatro. 

As sessões vão acontecer às 9h, 14h e 19h. Na programação, espetáculos como “A Flautinha de Uirá”, “Quem roubou o branco do mundo”, “Só que não”, “Quem conta um conto, aumenta um ponto”,  “De sol a sol” e “Turbulência”. 

Classificação indicativa livre para as sessões de 9h e 14h; e 16 anos, na apresentação das 19h. Ingressos ao preço de R$ 60 (plateia e frisas), R$ 40 (1º e 2º pavimentos) e R$ 20 (3º pavimento).

A música produzida no Amazonas dá o tom do “Domingo Autoral” que, nesta semana, conta com o show de Lucinha Cabral. A dona do hit “Brasileira” receberá a cantora Sam Rio como convidada no palco do Teatro da Instalação, a partir das 19h. 

A entrada é gratuita, com agendamento pelo Portal da Cultura (cultura.am.gov.br). O show também vai ser transmitido pelo Facebook e canal do Youtube da Secretaria (@culturadoam) e pela TV Encontro das Águas (canal 2.1 da TV Aberta). 

Visitas turísticas – Sexta-feira e sábado (20 e 21), o Teatro Amazonas segue com roteiro de visitas turísticas das 9h às 15h. O espaço recebe até 20 pessoas por grupo para visitação em um roteiro reduzido, de 30 minutos. Cada etapa tem entre três e cinco minutos, com exceção do Salão de Espetáculos, com o tempo previsto de nove minutos. Entre os destaques estão o Hall, Salão de Espetáculos, Saleta de Arquitetura e órgão eletrônico, maquete de lego do Teatro Amazonas, Salão Nobre e varanda frontal, sala de exposição e camarim de época.

No Centro Cultural Palácio Rio Negro, na avenida Sete de Setembro, 1.546, no Centro, o circuito mostra como era a residência particular do comerciante da borracha, o alemão Karl Waldemar Scholz, e o funcionamento do prédio tombado como Patrimônio Histórico e Artístico do estado do Amazonas enquanto sede do Governo.

A casa conta com a exposição coletiva “Un!versa”, uma homenagem a mulheres idosas e suas histórias de vida, por meio dos olhares das fotógrafas Adriana de Lima, Chris Gouvea, Claudia Higuchi, Kamila Venuz, Lizete Viana, Mariana Rebouças, Paula Moraes, Ruth Jucá, Sara Rangel e Selma Maia. A curadoria é de Cleia Viana. 

Exposições – O Centro Cultural Palácio da Justiça traz quatro exposições: “Arquiteotonicas”, “Severiano 90 anos”, “Cores em Movimento” e “Aquarelando Manaus”.

Em “Arquiteotonicas”, o artista plástico e historiador Otoni Mesquita apresenta suas cidades imaginárias, numa mostra que marca seus 45 anos de trajetória artística. “Severiano 90 anos” é uma homenagem ao arquiteto de obras icônicas no Amazonas. “Cores em Movimento” celebra 15 anos de carreira artística de Débora Miranda de Andrade, a Di Miranda. E “Aquarelando Manaus”, projeto do artista plástico holandês Sebastiaan Klink, retrata Manaus por meio das edificações históricas, praças, recantos, ruas, casas e ornamentos arquitetônicos.

O Palácio da Justiça funciona das 9h às 15h, com agendamento pelo Portal da Cultura (www.cultura.am.gov.br). O roteiro de visitação turística inclui ainda o hall inferior e superior, gabinete de leitura, sala do desembargador, sala das becas, galeria dos ex-presidentes, gabinete do presidente, Museu do Crime, tribunal pleno e corredor do júri.

No Largo de São Sebastião, a Casa das Artes está com a mostra “Decana” em cartaz e destaca a obra de Nereide Santiago, da Companhia Teatral A Rã Qi Ri, com fotografias, figurinos, textos e acessórios do universo artístico da diretora teatral, dramaturga e escritora. A exposição foi contemplada no Prêmio Conexões Culturais 2018, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

A Galeria do Largo oferece as exposições “Mitos da Amazônia – O guaraná e os Muras”, do artista parintinense Levi Gama, com a história das tribos Mawé e Mura; “Os Lambes de Todo Mundo – Festival Internacional de Lambe-Lambe”, de Eraquario; “Miopia – Impressão Manauara”, de Alonso Júnior; “Univercaos”, de Micael Santos, no Espaço Mediações; “NÓX Sintomas e Processos”, com trabalhos de artistas Adroaldo Pereira, Árvores do Asfalto, Bruno Kelly, Casa de Sananga, Darlan Guedes, Dermison Salgado, Fabiano Barros, Helen Rossy, Ítalo Alus, Jorge Liu, Thaizis, Romahs, Roosivelt Pinheiro e Odacy Oliveira, com curadoria de Cristovão Coutinho; além da exposição permanente “Cidade de Santa Anita”, de Mário Ypiranga Monteiro.

A mostra “05ReferênciasAmazônidas”, que faz parte da comemoração dos 15 anos do equipamento cultural, também está em cartaz e segue um viés cronológico, com obras de Moacir Andrade, Óscar Ramos, Hahnemann Bacelar, Bernadete Andrade e Roberto Evangelista, com concepção expositiva de Cristovão Coutinho e texto curatorial de Luciane Páscoa.

A Casa das Artes e a Galeria do Largo funcionam das 15h às 20h, de terça a domingo. Não é necessário agendamento, no entanto, as visitas são feitas com grupos de até dez pessoas para atender aos protocolos de segurança.

Museu do Seringal – Localizado no Igarapé São João, na área rural de Manaus, o Museu Seringal Vila do Paraíso foi criado para locações para as filmagens do longa-metragem “A Selva” e reproduz cenários da época do ciclo da borracha no Amazonas.

O acesso é pela Marina do Davi, no final da Estrada da Ponta Negra. A travessia é feita pela Acamdaf (92) 3658-6159, que cobra R$ 14 por trecho. O espaço tem uma entrada de R$ 10.

Fotos: Divulgação

Leia Também

Amazonas fecha mês de julho com saldo positivo de quase 3 mil contratações, segundo o Caged

Redação

Homem com bolsa de colostomia tenta assaltar irmãs do Templo Central da Ass. de Deus em Manaus.

admin

Wilson Lima e Tarcísio de Freitas alinham compromisso com salvaguardas ambientais na recuperação da BR-319

Barbara Nascimento