Amazonas

Dia Mundial da Prematuridade: recém-nascidos recebem ações dentro das maternidades

Eles chegaram antes do combinado e pegaram todos de surpresa. Nasceram pequenos e frágeis, necessitando de muito cuidado e atenção. Os bebês prematuros enfrentam desafios duros nos primeiros momentos da vida e por isso precisam de cuidados especiais.

O Dia Mundial da Prematuridade é comemorado nesta terça-feira (17/11) e, durante o Novembro Roxo, mês em alusão ao assunto, recém-nascidos das maternidades da rede estadual receberam presentes como forma de conscientização sobre a importância dos cuidados com os bebês nascidos antes do tempo.

De acordo com registros da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), em 2019 nasceram no Amazonas 6.666 bebês prematuros. Já em 2020, até o momento, foram 6.230.

A Maternidade Balbina Mestrinho entregou para os bebês internados na UTI neonatal toucas personalizadas. E, na Maternidade Ana Braga, os bebês ganharam uma sessão fotográfica newborn.

Liz Vitória é uma das prematuras internadas na UTI neonatal da maternidade Balbina Mestrinho. A pequena nasceu com dois meses de antecedência e mudou os planos da família.

“É meio complicado né? Porque a gente espera ter o bebê na data certa, de nove meses, ir pra casa. Está sendo um pouco demorado. A gente está passando um tempinho aqui, mas o atendimento está bom e a gente está passando bem”, relatou a dona de casa e mãe de Liz, Adriane Silva de Almeida.

Programação – Na Balbina Mestrinho, até o final do mês, haverá uma programação extensa, com rodas de conversas com mães e pais dos prematuros, além de outras ações.

“Todos os anos a gente procura um evento diferenciado. No ano passado nós vestimos os bebês de super-heróis, e nesse ano nós fizemos uma touquinha alusiva ao momento. São touquinhas com detalhes roxinhos, e foi feita uma entrega justamente para uma sessão fotográfica”, explicou a diretora da maternidade Rafaela Farias.

Segundo Rafaela, toda família aguarda que seu bebê nasça de nove meses, e quando isso não acontece, há uma série de preocupações familiares. “Existem os cuidados para que esse bebê no período de internação alcance o peso, não só o crescimento, como o desenvolvimento necessário para que eles possam receber uma alta e ter uma vida normal como qualquer outra criança”.

Indo para casa – A auxiliar de serviços gerais, Nívia Vieira, teve um parto prematuro devido a uma diabetes gestacional e relata o que sentiu no início da internação e da alta depois de dois meses de internação na UTI da unidade.

“Foi muito assustador, porque eu nunca fiquei internada com meus filhos muito tempo, então ele, por ser muito pequenininho, era um bebê muito debilitado, eram altos e baixos. Hoje saio daqui com segurança, porque ele foi muito bem tratado, muito bem cuidado por profissionais excelentes, técnicos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, todos muito bem atenciosos. Agradeço também aos enfermeiros pelo cuidado, e aos médicos, principalmente, que foram excelentes no cuidado do meu filho”, comentou.

Cuidados – Os bebês prematuros recebem nas maternidades cuidados específicos como o Banco de Leite Humano, que oferece o leite pasteurizado; acompanhamento de uma equipe multidisciplinar, com especialistas em neonatologia, fisioterapia, fonoaudiologia, além de profissionais da área de enfermagem com experiência em cuidados neonatal.

Na Balbina Mestrinho, após a alta, os bebês e suas famílias são acompanhados até os dois anos de vida. “Nós temos o ambulatório de seguimento, que acompanha esse bebê no Follow Up até os dois anos de idade. Então esse bebê recebe alta, mas continua sendo acompanhado pela maternidade”, finaliza a diretora.

Maternidade Ana Braga – Na maternidade Ana Braga, os bebês prematuros receberam uma sessão fotográfica Newborn. A sessão de fotos faz parte da programação do Novembro Roxo, e as fotos serão entregues para as famílias como forma de recordação dos cuidados necessários para o desenvolvimento dos bebês.
A maternidade, localizada na zona leste, iniciou a programação do Novembro Roxo com sensibilização em todos os setores e uma roda de conversa para pais e mães que possuem filhos internados em UTIs neonatais.

A programação da unidade conta ainda com sensibilização acerca do Método Canguru para profissionais das áreas de apoio, esmaltação de unhas para as mães, rodas de conversas e homenagens às mães e bebês.

FOTOS: Rodrigo Santos/ SES-AM e Divulgação

Leia Também

Polícia Militar de Humaitá detém homem suspeito de tráfico

admin

Em Manaus, estudantes do Ensino Fundamental da rede estadual passam por avaliação de aprendizagem

Victoria Farias

Diálogo e sensatez: Foi, é e sempre será o caminho do SISPEAM. “É hora de voltar às aulas”

admin